quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Tempo

É inevitável.
Com o tempo, um pó cinza se acumula sobre os sentimentos. As emoções se empoeiram. O coração se transforma num velho sótão. No sótão de uma casa antiga e mal cuidada. Fins de inverno, entretanto, não são bons para esse tipo de análise. Qualquer observação se deixaria levar pela frieza da estação, eu sei.

O fato é que, com o tempo, tudo se abriga numa espécie de caixa, uma caixa fechada, que vez ou outra é aberta. Caixinhas assim nunca abrigam tudo, apenas uma pequena parte das coisas mais importantes, uma pequena parte dos fatos, uma pequena parte dos acontecimentos, das histórias. Mas amor, amor não se espedaça, não é dividido em partes. Ou se dá por inteiro, ou então, sentemos. Deixemos ele empoeirar. Se perder, até se tornar completamente inutilizado e ser depositado num sótão. No sótão de uma casa antiga e mal cuidada, num coração agora empoeirado.

Ah, tempo! Você não é um senhor idoso, de cabelos brancos, pele com rugas e olhos cansados, como muitos costumam dizer. Você é um menino de sorriso inocente, olhos tenros e rostinho ingênuo. Meninos de sorriso inocente costumam não encobrir vergonhas, por isso você sempre abre aquelas velhas caixinhas. Passemos, então, uma flanela molhada sobre os móveis, sobre a poeira acumulada. Joguemos a flanela fora, junto com todos os pensamentos ruins.
A eternidade, menino, tem que ser amiga dos momentos bons. Dos sentimentos bons. O amor, por mais impossível que possa parecer, existe porque é eterno.


"Quem teve a idéia de cortar o tempo em fatias,
a que se deu o nome de ano,
foi um indivíduo genial.

Industrializou a esperança, fazendo-a funcionar no limite da exaustão.

Doze meses dão para qualquer ser humano se cansar e entregar os pontos.
Aí entra o milagre da renovação e tudo começa outra vez, com outro número e outra vontade de acreditar que daqui pra diante vai ser diferente."
Drummond

10 comentários:

Anna Beatriz disse...

Adorei, senti falta daqui D:
beijão!

BelaTeixeira disse...

Olá, Bruna.
To passando pra te agradecer pelo seu comentário lá no meu Blog "Cartas pra Ninguém". Muito obrigada pelos elogios.
Ia te perguntar como vc o descobriu... pq ele é meio 'secreto', quase ninguém tem o endereço dele... Mas parei pra ler seu texto aqui e tb gostei do que li!

Me lembrou um texto meu postado há um tempinho... Gosto de divagar sobre o tempo... e tb amo metáforas.

Te convido então a conhecer o meu blog "Menina Paradoxo". Na verdade to praticamente inaugurando ele, pq meu antigo blog era no LiveSpaces e tinha acesso restrito a amigos. Mas aos poucos vou enchê-lo de novos textos e republicar alguns... Quem sabe não coloco o sobre o Tempo pra vc ler qualquer dia dessse.

Beijinho pra vc.

Apareça sempre! Comentários são bem vindos!

Liliane disse...

OLha não vou demorar mto pra escrever esse comentario, pois nao tenho mto tempo.....kkk
A Biblia diz q há tempo para tudo.
Sábia palavra de Deus...é isso mesmo há tempo para tudo. Eu acho q o ser humano q nao aprendeu a controlar esse precioso tempo...e aprender a entende e aceitar o Tempo de Deus.

Ops acabou meu tempo kk
Bjos

Danielle disse...

Adorei, a gente precisa dele e as vezes acha que nunca é o suficiente, porém não temos tempo pra pensar no tempo! rs .Devemos utiliza-lo direito pra q não deixemos que os móveis fiquem empoeirados!Se 24h é tão pouco,logo,não podemos ter tempo pra pensar em coisas ruins! Ah, sua relatividade me deixa triste..rsrsrs

beijos Bru, o blog continua ótimo õ/

Vanessa M. disse...

Eu acho o tempo um cara bem generoso.

Layz Costa disse...

É Soninha, o tempo é generoso e injusto ao mesmo tempo - tempo, paradoxo.

Lindo, como sempre.

Marie Raya disse...

Bruna, como é bom vir aqui! Desde a primeira vez que li um post seu, amei. Seu post está perfeito. Palavras usadas incrivelmente! Obrigada pelo comentário e respondendo sua pergunta acho que nunca estamos preparados para o que virá, mas que venha. Que venha a vida de universitária, pois estou pronta. Beijão!

Sam disse...

De fato o tempo é um fator preponderante na história humana, devemos dar importância a ele. Não sabemos aproveitá-lo e nem administrá-lo como deveríamos, mas isso não significa que devemos deixar de tentar. Sua reflexão sobre ele me leva a pensar que muitas feridas, segredos, amores,traumas e sentimentos podem estar adormecidos por um período, porém em algum instante podem vir à tona. E então, o que fazer? O tempo não cura as feridas, o tempo não cura nada, se nós não enfrentarmos nossos medos e anseios, eles apenas nos deixarão por um momento, mas depois daremos de cara com eles novamente.Dessa forma o tempo não ajuda, mas se quisermos que o tempo realmente nos ajude, faça hoje, viva hoje, enfrente hoje, e daqui a algum "tempo" o tempo vai adornar a sua experiência e respaldá-la para futuras gerações.

Marie Raya disse...

Bruuuna,
caramba, juro que nem sabia. Foi meio que de sopetão que fiz aquele texto, auhsuahs. Muita coincidência. Mas enfim, não roubei ideia não tá? :(
To com saudade dos teus posts, beijos :*

William Kyorazo disse...

Nossa Bruna, muito bom .
Parabens mesmo , agente vai decifrando a importancia do tempo conforme o tempo passa .

Parabens pelo Blog ;)